Crônicas do dia-a-dia louco e insano que passamos correndo sempre, sem sequer olhar profundamente para si mesmo.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Você

Há muito tempo adiava olhar suas fotos, ler seus versos, ouvir nossas músicas.
Você simplesmente se foi... Como se nunca tivesse existido de verdade.
Somente em minha mente, em meu coração, em minha alma você ainda existe.
Me lembro muito bem do nosso último beijo, me lembro muito bem do nosso último abraço, da nossa última risada, da última vez que pude ter você ao meu lado.
Era tudo tão mágico, tão bonito, tão simples... Que o final não poderia ter sido outro, certo?
Ainda espero o dia em que você voltará para a minha vida, como tem que ser.
Ainda espero te reencontrar e que o amor que eu sinto por você seja ainda maior do que o amor que sinto agora por ti.
Você se foi, era feriado, estava nublado e as lágrimas era apenas o sinal exterior que a minha alma mostrava, porque por dentro a dor era infinitamente maior, praticamente insuportável.
Hoje ainda caminho, pelas ruas em que andávamos, esperando que saia por de trás de alguma árvore ou carro estacionado na rua, mas infelizmente isso não acontece.
Por isso, ainda continuou fumando meu cigarro, tomando o meu café nessa manhã fria e cinzenta, pensando apenas em....


Você.

Um comentário:

Thiαgσ Oliveirα. disse...

Que essa espera eterna termine logo.